Deborah em Bariloche: Diário de Viagem – Parte 1

Giiirlss, o post ficou enorme então vou dividir em 2 partes tá? A Segunda parte tá AQUI!

Como prometido, vou fazer um resuminho da minha viagem pra Bariloche, já com dicas de lugares pra visitar (ia fazer separado um post mas nem precisou!). Eu fui com o Bê e meus pais, passar o dia dos namorados fora e nada mais romântico que um lugar friozinho com muito chocolate quente né? Hahaha.

Foi muito bom ir no início do inverno, porque pegamos paisagens lindas do outono e não tivemos tantas complicações de neve sabe? Só um dia que tivemos andar com correntes no pneu e sem derrapagens, mas a neve não dá moleza viu! Espero que se divirtam lendo, e quando puderem, visitem essa cidade linda!

o-que-fazer-em-bariloche-diario-de-viagem-dia-1

 

 

 

 

Quarta-feira, 11 de junho – Indo pra Bariloche o/

 Chegamos em Bariloche, demos uma volta e comemos Pizza na no Restaurante La Esquina, delícia! Aí depois encontramos o guia para escolhermos os passeios que queríamos fazer, montamos nossa agenda lá mesmo, foi bem melhor do que montar na Agência de Viagens viu? #ficaadica. Aí fomos alugar roupas de neve no Erni, para cada passeio (isso foi dica do guia, você pode fazer tudo na neve com suas próprias roupas mas as do aluguel tem qualidade muito superior, são térmicas e você pode trocá-las todo o dia a noite, caso sujem ou só pela cor mesmo haha, I did it!. Depois fomos no cassino, spend all my dollars! haha mentira!

Aí como tínhamos almoçado tarde, ninguém estava com fome, então fomos tomar um chocolate quente maravilhoso (se preparem você vão tomar chocolate quente o dia inteiro haha no frio, é necessidade) no Abuela Goye que é uma cafeteria super famosinha, pedi um struddel de maçã que estava uma delícia!

 

o-que-fazer-em-bariloche-diario-de-viagem-dia-2
o-que-fazer-em-bariloche-diario-de-viagem-dia-1B
bariloche-cerro-campanario
bariloche-cerro-campanario
 

 

 

 

Quinta-feira, 12 de junho – Cerro Catedral e Cerro Campanário

Fizemos um city tour pela cidade e visitamos também o Cerro Catedral e Cerro Campanário. No Cerro Catedral, totalmente coberto de neve, desde a base, pegamos um bonde maior suspenso até um restaurante no alto da montanha e de lá tivemos a opção de subir de teleférico (aquelas cadeirinhas pavorosas) até o topo da montanha, onde tem o Refúgio Lynch, uma cafeteria super gostosa (e adivinhem: maaais chocolate quente! O chocognac de lá vale a pena viu!). Antes de mais nada, queria dizer que eu morro de medo de altura, mas se você vai viajar tem que topar todos os passeios né? Então subi todas as montanhas por mais que os carrinhos balançassem a mil metros do chão! hahahaha

No caminho para Cerro Campanário, almoçamos em um restaurante no meio da estrada mas super bacana, o Estación Araucanía. Comemos o famoso Cordeiro Patagônico, amei! Então chegamos ao Cerro Campanário, que é mais baixo que o catedral e ainda não estava totalmente coberto de neve.  Por isso tivemos uma vista linda do outono de tirar o fôlego com todas as árvores coloridas!!! Lá em cima tem um observatório com uma vista 300˚ graus perfeitaaa! E depois fomos ao Hotel Llao Llao, mas o campo de golfe estava fechado =/

Quando retornarmos para o Hotel Carlos V (que é bonzinho, mas nada top viu?) Até assustamos porque estávamos esperando algo bem melhor, mas em viagens a gente não pode estressar. Assistimos o jogo, e saímos para jantar no (que me indicaram como) melhor restaurante de Bariloche, o Restaurante Família Weiss para o dia dos namorados né. Como sempre, eu peço o prato típico e mais prato exótico no menu e não o mais gostoso hahah. Escolhi um guisado de cervo que vinha com nhoque, então estava bom.

 
 

o-que-fazer-em-bariloche-diario-de-viagem-dia-3
 

 

 

 

Sexta-feira, 13 de junho – Quadriciclo 4×4 na neve, Cerro Otto, Patinação no Gelo, passeio de barco Ilha Victória.

Como existiam mais passeios do que dias pra gente, tivemos que abrir mão do passeio de barco pela Isla Victória, a maior ilha do lago Neuquén. Então, meus pais foram a Isla Victoria e eu e Bê fomos fazer um passeio de quadriciclo no topo do Cerro Otto. E como voltamos antes dos meus pais, fomos andar pela cidade, fotografar um pouco e comer chocolate no Turista (L). Depois, o Bê queria muito patinar no gelo e fomos para a Pista Uno que fica na Av. Mitre. Só levei tombo enquanto ele ficava esfregando na minha cara que era um patinador nato hahahaha #sofri!

Nesse dia nevou super na cidade, foi lindo! Quando meus pais voltaram, fomos jantar no La Marca, experimentei o Panzotti de Javali (escolhendo o prato exótico de novo). E não sei se recomendo porque não sabia que era Javali defumado então estava um pouco salgado. Aliás, a única coisa que eu não gostei na viagem foi a língua, apesar de ser muito próxima do português, eu não entendo bulhufaaaas, e sempre vinha um prato diferente do que eu tinha entendido hahaha.

 

Espero que tenham gostado do post meninas! Ficou enorme né?

E todas as dicas estão no App do blog, na seção de Mapas ok? Tem tudo com a localização AQUI!

Beijocas!

Compartilhe:

Deborah Zandonna

Deborah Zandonna, mineira de Belo Horizonte, tem 28 anos e é formada em Publicidade pela PUC Minas e em Consultoria de Imagem pela École Supérieure de Relooking Paris, além de cursos como Fashion Campaign & Advertising do Instituto Marangoni-Milão. E atua nos campos de Moda, Marketing e Midias Digitais.

Meus trabalhos /jobs

Personal Stylist

Consultoria de imagem, de estilo, visagismo, personal shopper

Palestras

De marketing digital a produção de conteúdo de moda na Internet

Eventos

Bate-papo e palestras abordando moda, praticidade e consultoria